segunda-feira, 5 de janeiro de 2015


 Antes que pensem o obvio, sim, neste livro lidamos com vampiros piratas, bizarro não??!! Mas porque vampiros não poderiam ser piratas? Existem aqueles que as pessoas chamam de fadas, então porque não vampiros que se aventuram pelos extensos oceanos? Entretanto, o enfoque do livro está em dois gêmeos, com uma linda história resumida abaixo:


 Vampiratas narra a história de Connor e Grace, gêmeos que perdem a mãe após o parto, e perdem sem pai 14 anos depois. O faroleiro Dexter, pai dos gêmeos, só lhes deixou dívidas, e para pagar, o prefeito da baía pega todos seus bens, inclusive o farol e só restam duas alternativas para os gêmeos: viver no orfanato da cidade ou viver como filhos do prefeito que ele nunca teve. Mediante a estas alternativas, eles preferem fugir para os oceanos, pegam o velho barco de seu pai e saem da baía em fuga. Antes de eles poderem contar vantagem, uma tempestade surge e destruem o barco de seu velho pai, separando-os.
 Connor é resgatado por um navio pirata, e Grace é resgatada por o navio dos vampiratas.


 Os capítulos do livro vão se alternando entre: a história do Connor, a história da Grace, mas será que eles se reencontram? Só lendo para descobrir e se apaixonar pela a história.


  Para os Vampiros maníacos, saibam, o mito dos vampiros não são muito modificados nesta história, aqui eles ainda queimam ao sol, tem a necessidade se sangue humano, para ilustrar isso, não poderia deixar de escrever, a canção dos Vampiratas:


 " Vou contar a história dos Vampiratas,
    História antiga e verídica.
    Sim, vou cantar sobre um velho navio
    Com Tripulação maligna e fatídica.
    Sim, vou cantar sobre um velho navio,
    Que veleja no oceano azul...
    Que assombra o oceano azul.

    O navio Vampirata tem velas rotas,
    Que balançam como asas a voar.
    Dizem que o capitão usa um véu
    Para nosso terror aplacar
    De sua palidez mortal
    E de seus olhos sem vida,
    E dos dentes afiados como a noite sombria
    Ah, dizem que o capitão usa um véu
    E seus olhos nunca vêem a luz do dia.

   É melhor ser boazinha, criança - boa como ouro,
   Tão boa que nem posso contar.
   Senão te entrego aos Vampiratas
   E te mando para o mar.
   É, é melhor ser boazinha, criança - boa como ouro,
   Porque...olhe! Estás vendo logo ali?
   Há um navio escuro no porto esta noite
   E tem lugar no porão para ti!
   (Tem bastante lugar para ti!)

   Bom, se os piratas são maus,
   E os vampiros ainda piores,
   Rezo para que, enquanto eu viver,
   Mesmo cantando sobre os Vampiratas,
   Jamais um deles possa ver.
   É, se os piratas são perigosos
   E os vampiros são a morte,
   Rezo também por ti...
   Que teus olhos nunca vejam um Vampirata...

   ...E eles nunca ponham a mão em ti."



 O autor, Anthony Horowitz, da série o poder dos cinco (falarei dela adiante), fez o seguinte comentário da série:

 "Totalmente original...gostaria de ter tido essa ideia."



 Recomendo que se você ainda não leu, leia, a classificação pode ser infanto - juvenil, mas nunca se há idade para ler uma boa história, pois ela instiga nossa imaginação e nos leva a universos diversos, sem nunca precisar ter saído do lugar.


Para mais informações do livro, acesse:

http://www.orelhadelivro.com.br/livros/665086/vampiratas-demonios-do-oceano/




Black kisses

Selene

by Bookníaco s 22:17 No comments

0 comentários:

Postar um comentário

Bookmark Us

Delicious Digg Facebook Favorites Stumbleupon Twitter

Search